Bacalhau da Páscoa

IMG_9447

Essa é a primeira vez que estou sozinha em Brasília na páscoa católica, e já que a cozinha é o meu caminho principal para matar a saudade, resolvi cozinhar um bacalhau. Não é o bacalhau do meu pai – ainda não mestrei essa receita, mas é uma receita que me faz lembrar do meu pai. Meu pai é um excelente contador de histórias, e devo à ele uma enorme parte da minha curiosidade pela razão das coisas. “Porque a princesa Isabel morou aqui? Porque Bragança é tão longe? Porque não se come carne na sexta feira santa? Porque? Porque? Meu pai aturou minha fase dos “porquês” com primor. E é mais ou menos da maneira que meu pai me contava mitologia grega, de um jeito meio errático de quem abre o livro no meio e só depois volta pro início – que é, afinal, também a maneira que eu sei contar história, que eu venho contar as origens do bacalhau pra vocês.

Todo mundo sabe que o bacalhau chegou ao Brasil com a corte portuguesa, isso não é lá muito novidade; todos os Pedros amavam bacalhau. Mas você sabia que já teve guerra pelo bacalhau? Os portugueses, espanhóis, alemães e ingleses lutaram diversas vezes no início do século XIII pelo direito de pescar bacalhau na Islândia e na costa da Inglaterra, que desde aquela época custava caríssimo. Deve-se ao bacalhau uma boa parte do início do direito internacional marítimo – os primeiros tratados que conhecemos sobre pesca entre diferentes países vieram dessas guerras. Agora voltemos para a Islândia: É de lá que vem o genuíno bacalhau, feito primeiramente pelas mãos dos Vikings. Sim, os Vikings! Os primeiros a fazer o bacalhau nas suas longas jornadas, estirando o peixe em cordéis no meio do mar. Mas foi só com os bascos que o método de conservação do bacalhau passou a ser curado, e comercializado, devido a maior conservação. E daí pra chegar em Portugal foi um pulo, e a história volta para as guerras, que, em geral, sou extremamente contra, mas em se tratando de bacalhau, eu entendo.

 

Ingredientes:

½ kg de posta de bacalhau salgado

1 cebola grande cortada em rodelas

1 pimentão vermelho em rodelas

50 gr de azeitonas sem caroço

1 pimentão amarelo em rodelas

½ kg de batatas em rodelas

pimenta malagueta

2 colheres de cebolinha picada

1 colher de coentro picado

Sal e pimento

8 dentes de alhos amassados

80 ml de azeite

 

Como fazer:

Dessalgue o bacalhau no mínimo 24 horas antes, lavando o peixe bastante em água corrente e depois deixando imerso em água em tigela fechada, trocando a água de seis em seis horas.

Cozinhe as batatas por 10 minutos em água quente com sal.

Agora é só montar uma assadeira com batatas ao fundo, cebola e pimentão no meio e bacalhau em cima. Lembre de temperar individualmente com sal, pimenta e azeite cada camada. Coloque as azeitonas e salpique com cebolinha e coentro e leve ao forno de 200 graus por 40 minutos, ou até o pimentão ficar macio.

IMG_9449

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s