Básico V: O omelete perfeito

IMG_4110

Quando eu tinha 18 anos me prometi que aos 25 compraria, com o meu próprio dinheiro, uma bolsa chanel preta, aquela clássica de correntinha que a gente usa em um ombro só e foi chic em algum momento da história. Outras promessas vieram e essa ficou esquecida, até que por ventura hoje me deparei com uma vitrine com a bendita bolsa – 17 mil reais. Dei uma alta gargalhada dos meus 18 anos, e olhe lá que esse nem foi meu pior desejo, lembremos que nessa idade eu também decidi cursar direito.

Bem, hoje em dia não é só a falta de 17 mil reais que me afastam da compra – não quero uma nem da 25 de março, aliás creio que me falta dinheiro inclusive pra falsificada. Comecei devagarinho a lembrar de várias outras promessas que hoje pareceriam castigo cumprir e das que ainda guardo com muito carinho – como viajar muito, ler ao menos um livro por mês, aprender italiano de verdade e fazer o omelete perfeito, que é o motivo pelo qual eu perdi o tempo de todo mundo falando da bolsa chanel.
Esse omelete de espinafre na manteiga, tomate e queijo de cabra é o meu favorito da vida. Ele é a minha definição de perfeito – dourado por fora, cremoso por dentro, tomate explodindo e bastante queijo derretendo, sem contar que ainda tem aquele gostinho de espinafre na manteiga. Recomendo comer com um café e um domingo de manhã.

Ingredientes (para uma pessoa que sabe viver bem):
1 colher de manteiga
2 ovos
1 punhado de espinafre
10 tomatinhos cereja
1 colher bem cheia de queijo de cabra em pedacinhos
Sal e pimenta
Ps: uma boa frigideira ajuda muito.

Como fazer:
Antes de começar quebre dois ovos em um bowl e bata bastante com um garfo, até a gema e a clara estarem completamente misturadas. Quanto mais ar entrar, mais fofinha a omelete vai ficar.
Com a frigideira ainda fria, coloque a manteiga e espere derreter em fogo médio. Em seguida coloque o espinafre e espere reduzir, e aí coloque o tomate. Logo em seguida já pode colocar o ovo batido, tentando deixar o tomate e o espinafre equilibrado – pra que não fique concentrado tudo em um lado da frigideira.
Quando começar a desgrudar das bordas, pode colocar o queijo, também bem equilibrado ao redor da frigideira. Com uma espátula ou uma colher comece a tentar virar o omelete, com cuidado, para que ele não quebre. Ele vai quebrar menos se o tomate estiver cortado em pedaços – mas eu gosto deles inteiros, ai a decisão fica com vocês.
Conseguindo virar, já pode desligar o fogo! O calor residual vai ajudar a cozinhar o resto. Agora é só servir deslizando o omelete para o prato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s