O repolho cozido por oito horas

746F2C07-9373-47EB-9073-64AD8A122989

Tinha mais de mês que eu procurava aquele colar de pérolas falsas e seda que comprei em uma loja na parte mais alta da cidade antiga de Yaffo. Bem, a segunda parte mais alta, a mais alta mesmo fica a um lance de escadas dali, na ponte dos desejos, onde você deve colocar a mão na grade de ferro que tem todos os signos do zodíaco desenhados, olhar para o mar e fazer um pedido. Não sei se por conta do atual realismo mágico dos meus desejos mas o destino não quis se comprometer e manteve essa parte da cidade fechada nas minhas últimas visitas.
Bem embaixo da ponte está a loja do colar, que fica na praça em frente a uma fonte de ladrilhos azuis e do lado de uma sorveteria de preços bem salgados. Já o colar não é particularmente caro ou impossível de repor, mas o carinho que eu sinto por ele está diretamente ligado a várias boas memórias de Yaffo e das suas lâmpadas coloridas.
Lembro da primeira vez que fui e me apaixonei perdidamente pelo contraste das casas antigas de portas lindas com o mediterrâneo molhando os desavisados que acreditam que uma mureta pequena como aquela pode conter as ondas na curva entre o porto e o mercado. Lembro com água na boca da primeira vez que experimentei um malabi e meu estômago aperta só de pensar nas maravilhosas e impronunciáveis comidas do Dr. Shakshuka, em especial o cuscus que não tem igual em nenhum outro lugar do mundo. Aliás, Yaffo guarda dentro dela uma enorme parte das minhas melhores descobertas gastronômicas: o hummus do Abu Hassan, o tartare de peixe com iogurte e tomate do Bat Yam e as milhões de saladas coloridas do The Old Man and the Sea. Hoje, desavisada, abri uma bolsa que não usava há muito tempo e encontrei o colar. Junto com ele vieram todas essas memórias que doeram até os ossos. Coloquei o colar e fui para a cozinha, meu refúgio de sempre, fechar os olhos e fingir que o calor do fogão é a brisa quente de Yaffo na pele.

Repolho caramelizado do Bat Yam
Ingredientes:
1 repolho cortado em 6 sem tirar a ponta que junta as folhas.
2 litros de caldo de carne caseiro – tem receita aqui no blog de caldos!
3 colheres de manteiga
Sal, pimenta e açúcar
Creme de leite fresco batido e ciboulette picada para servir

Como fazer:
Esse é um repolho que cozinha por oito horas, então em primeiro lugar devo dizer que você precisa de paciência. Mas acredite, o resultado final é sensacional e vale a espera.
Limpe bem o repolho e corte em seis partes, como barquinhos. Em uma panela alta coloque o repolho e cubra com o caldo (e olha, precisa ser caseiro sim, tá), é necessário que o repolho fique todo coberto. Tempere com 1 colher rasa de chá de sal, pimenta e uma colher de sopa de açúcar.
Leve ao forno fechado por 4 horas a 160 graus, e em seguida, com muito cuidado, tire a tampa e deixe assar por mais 3, 4 horas.
O caldo vai ter reduzido quase inteiramente, deixando uma calda maravilhosa de carne. Com muito cuidado tire o repolho da panela, adicione manteiga no caldo e depois de dissolvida regue o repolho com esse molho. Coloque uma colher de sour cream em cima e ciboulette picada e sirva!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s